Utilize estas duas técnicas para identificar riscos

Frequentemente os gestores de projeto documentam riscos que não são realmente riscos. É por isso importante entender a natureza dos riscos e saber como articulá-los corretamente. Isso irá tornar muito mais fácil a gestão dos riscos reais do seu projeto. Apresentamos aqui duas técnicas que o irão ajudar.

Certifique-se que os riscos têm associado algum nível de incerteza

Riscos são declarações que têm uma probabilidade de ocorrência e um impacto no projeto. Se um evento é identificado como um risco, tem de haver algum nível de incerteza envolvido. Por outras palavras, se um evento tiver uma probabilidade zero de ocorrer, não fará sentido identificá-lo como um risco. Nem se trata de um baixo risco. Não é um risco de todo. Por outro lado, se um evento é 100% certo que irá ocorrer, também não é um risco. Nem é um risco elevado. É um fato. Por vezes, esses eventos 100% certos também são restrições ou constrangimentos do projeto. Uma restrição é um evento ou limitação que tem impacto no seu projeto e deve ser considerada e contornada durante o planeamento. Por exemplo, talvez não consiga obter um recurso necessário até 30 dias após o início do projeto. Isto é uma restrição, não um risco. Esta restrição pode causar um risco de planeamento, mas a restrição em si não é um risco.

Um risco tem uma probabilidade entre 0% e 100% de ocorrer. Quando está a gerir riscos, deve focar a sua atenção nos verdadeiros riscos e não em fatos ou não-eventos.

Distinga entre riscos, causas e efeitos

Há uma causa para cada risco e um efeito se o risco ocorre. A causa é uma situação existente que origina um risco potencial. Normalmente, a causa é um fato ou certeza para o projeto. Por outro lado, o efeito é o resultado provável se o risco ocorre.

Considere o seguinte exemplo. Digamos que há uma solução que precisa ser implementada em todos locais da empresa por todo o mundo, incluindo naqueles em países em desenvolvimento. Se as redes de telecomunicações não forem atualizadas a tempo, a solução não será viável nesses locais.

No exemplo anterior, qual é o risco?

  • É um risco ter que implementar a solução nos países em desenvolvimento? Não, essa é a causa. É um fato ou um requisito.
  • É um risco a solução não estar disponível em certos países? Não, esse é o efeito potencial do que pode ocorrer neste cenário.
  • É um risco as actualizações das redes de telecomunicações necessárias não serem executadas a tempo? Sim, é aí que reside a incerteza.

Quando os riscos do projeto são identificados, certifique-se de que o risco em si é registado e não a causa ou o efeito do risco.

…………………………………………..

Estas são algumas das técnicas que poderá aprender no nosso curso Fundamentos de Gestão de Projetos. Saiba mais >