Valor Monetário Esperado e Contingência para Riscos

O valor monetário esperado (EMV: Expected Monetary Value) é uma técnica de gestão de risco que pode ser empregue para medir e comparar os riscos associado a vários aspectos do projecto. O valor monetário esperado é um técnica de análise quantitativa de risco uma vez que utiliza valores numéricos para quantificar os riscos, em vez de aproximações subjectivas tais como, atribuir ao impacto do risco os valores alto, médio ou baixo.

O EMV é calculado com base em dois números:

  • P = Probabilidade de o risco ocorrer
  • I = Impacto no projecto se o risco ocorrer. Este valor pode ainda ser fraccionado em “Ic” para o impacto no custo, “Is” para o impacto no prazo e “Ie” para o impacto no esforço de trabalho.

Reserva para Contingência de Risco

Se utilizar esta técnica para todos os riscos do seu projecto, poderá pedir uma reserva de contingência para cobrir o impacto sobre o seu projecto se um ou mais riscos ocorrerem. Por exemplo, suponhamos que identificou seis riscos no seu projecto, como indicado a seguir:

Risco Probabilidade Impacto no custo Contingência
A 0,80 10.000€ 8.000€
B 0,30 30.000€ 9.000€
C 0,50 8.000€ 4.000€
D 0,10 40.000€ 4.000€
E 0,30 20.000€ 6.000€
F 0,25 10.000€ 2.500€
Total 118.000€ 33.500€
Com base na identificação destes seis riscos, o impacto total sobre o seu projecto é de 118.000€. No entanto, não poderá exigir um tal valor para o orçamento de contingência para riscos. Terá necessidade do total desse valor somente se todos os riscos ocorrerem. Lembre-se que o objectivo da gestão do risco do projecto é assegurar que os riscos não afectam o seu projecto. Deste modo, poderá assumir que irá gerir eficazmente a maior parte dos riscos, senão todos eles. O orçamento de reserva para riscos deverá reflectir o impacto potencial do risco, mas também a probabilidade da sua ocorrência, tal como indicado na última coluna da tabela.

Com base no EMV, a necessidade total de contingência para este projecto é de 33.500€ e esse valor será adicionado ao seu orçamento do projecto como contingência para riscos conhecidos. Se os riscos C e F ocorrerem, poderá utilizar o orçamento de reserva para cobrir o impacto. Repare no entanto, que se o risco D ocorrer, a reserva não é suficiente para o proteger do impacto. Porém, o risco D tem apenas 10% de probabilidade de ocorrer e a equipa do projecto deverá vigiar de perto este risco para assegurar que o mesmo é gerido eficazmente. Mesmo que o risco não possa ser gerido completamente, o seu impacto no projecto será controlado através de uma gestão pro-activa do risco.

Distribuição do risco

A reserva de contingência para riscos funciona bem quando há um certo número de riscos envolvidos. Quanto mais riscos a equipa identificar, maior será a distribuição da reserva de contingência entre os riscos identificados. No exemplo anterior, a acumulação de seis riscos é suficiente para obter um orçamento de protecção. Se tivesse identificado somente um ou dois riscos, não conseguiria fazer uma distribuição suficiente do risco para ter a eficácia que desejaria. Por exemplo, suponhamos que tinha somente identificado um risco semelhante ao risco D da tabela anterior. Vamos assumir que iria pedir e obter uma provisão para contigência de 4.000€. Iria então deparar com uma situação de tudo ou nada. Se o risco não ocorrer, não irá precisar dos 4.000€. No entanto, se o risco ocorrer, os 4.000€ não serão suficientes para cobrir o impacto do risco. Isto não significa que a reserva de contingência deva ser ignorada, mas somente que funciona melhor, se um certo número de riscos forem identificados. A reserva de contingência não é tão eficiente se forem identificados somente um ou dois riscos.

Orçamento para riscos desconhecidos

Os cálculos do valor monetário esperado descritos acima referem somente os riscos identificados no início do projecto, durante a avaliação inicial dos riscos. Se for gerir um projecto grande, deverá continuar a supervisionar regularmente os riscos. Consequentemente, deverá pedir um orçamento adicional de reserva de contingência para cobrir os riscos que poderão aparecer mais tarde, mas que não foram identificados inicialmente. É norma da indústria pedir 5% do seu orçamento total para contingência de risco, para cobrir os riscos desconhecidos que irá encontrar mais tarde. Este valor é adicional à contingência para riscos que são conhecidos e já foram identificados.